(Português) Um Conto Chinês: A disponibilidade que nos engrandece

Archivado en (Filmes) por Pablo González Blasco en 19-12-2011

Tags: , , , , , ,

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (6 votes cast)
(Português) Um Conto Chinês: A disponibilidade que nos engrandece, 5.0 out of 5 based on 6 ratings
  • Antonio Alexandre de Moraes

    Caro Amigo Pablo, gostei muito da “ginástica da disponibilidade”…, me fez pensar bastante! Creio que encontrei um bom caminho de luta pessoal! Grato pelo artigo. Feliz e Santo Natal para todos nós. Abraço. Toninho (Campinas/SP).

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)
  • Adalis

    Como se a virtude fizesse parte do hardware de fabricação. mo se a virtude fizesse parte do hardware de fabricação….  Esta frase resume tudo… Adorei o comentário deste filme 

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)
  • Roberto Mortari Cardillo

    Amigo Pablo, vc se superou nessa crônica (aliás, nome algo inexpressivo para seus ricos comentários). Não assisti ainda ao filme, mas estou ansioso para fazê-lo. A idéia de que cobiçamos características alheias intransferíveis e desprezamos o que podemos conquistar esforçadamente  é simplesmente genial.

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)
  • Vanevf

    Acabo de ver el film y cuando terminó quedé esperando “el final” … y qué pasó después con Roberto?? y qué fue de la vida del chinito en Argentina?? …..  lei sus comentarios y ahora cierro con broche de oro el final de esta película tan diferente y en apariencia, sin sentido. Todo parecía un mismo “Cuento chino”.. Parabéns y gracias por ayudarnos a pensar .

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)
  • Marco_janaudis

    O filme, de tão ” simples” , é fabuloso. Mostra Roberto azedo com a nova situação que a vida lhe apresenta e, ao mesmo tempo, mostra a atriz coadjuvante curtindo a mesma situação. Um mesmo fato, duas formas de lidar com ele. Um homem rude, mas que não consegue ficar indiferente ao que acontece, mesmo que com certa má vontade. 
    As reflexões são muitas. Há tempos não via um filme assim (o último foi Meia Noite em Paris!!).  Outro ponto interessantíssimo: a coleção de reportagens de fatos inacreditáveis, quase impossiveis e como as historias se entrelaçam. Parabéns pela cronica e indicação. Abraços, Marco Aurelio

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)
  • Alba Otero

    Assisti a esse filme duas vezes e nas duas me encantei. Porém, ao ler seus comentários, descobri coisas novas que não havia pensado. No último parágrafo vc fez um fechamento com chave de ouro. Seus comentários vieram em boa hora, pois estou vivendo momentos difíceis e a primeira coisa que sempre nos ocorre nessas horas é: não tenho jeito pra lidar com isso ou “fulano sabe lidar tão bem com seus problemas e eu nao”. O querer é a chave de tudo. Ele abre a porta para nossa generosidade sair e para enfrentarmos nossos problemas, mesmo com medo. Abraços

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)
  • Danielle Érica

    Muito boas as ponderações.

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)